segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

La plus belle avenue du monde

Para ler ouvindo: Moon River - Frank sinatra

Quando uma garota diz que está cansada, o que ela realmente quer dizer, é que precisa de seu colo para se deitar. As vezes penso que gosto tanto de viver um sonho intenso, que tenho medo de acordar pra uma realidade que poderia ser adocicada. Eu posso ver coisas que você jamais conseguiria enxergar, posso mudar coisas simples em seu quarto, que você jamais notaria. Posso ir a Paris e voltar em um piscar de olhos. Seus sonhos, nunca serão como os meus. Sua sensibilidade para as coisas simples é diferente da minha, ou talvez, você nem tenha sensibilidade nenhuma. Eu tenho um lado secreto que você jamais vai notar, a menos que queira realmente conhecer.

Em meu sonho, nossa vida seria o remake de um filme antigo. Você poderia me encontrar em Paris, sentada no banco de uma praça lendo um livro de capa vermelha, e todos os dias se apaixonaria por mim. Você não iria demorar muito para vir e colorir meus dias, teria medo que outro notasse a intensidade de meus olhos. Gentilmente iria pedir para sentar-se ao meu lado, e ali, começaríamos nossa história de amor. Lenta, como deve ser... A cidade seria toda nossa. E a pressa? Ah, ela não faria parte do enredo.

Do lado de fora de um café qualquer na Avenida Champs-Élysées, dividiríamos um vinho caro -aquele que compramos com o dinheiro de pagar as contas- Bêbado e com um sorriso tímido e inteligente no rosto, você diria que eu estava linda aquela noite. Que na manhã seguinte quando seu porre passasse, você ficaria melhor. E eu... Continuaria linda. Diria também que eu era uma ameaça a beleza das deusas gregas. E que com apenas um sorriso, poderia tomar a lua só para mim. Nós cantaríamos para ela a canção dos apaixonados. E ali, seriamos duas metades de uma só alma...

"Moon river, wider than a mile, I'm crossin' you in style some day..."

Um comentário:

Augusto disse...

Lindo, lindo, lindo!